As Madeiras da Viola - Fonte: http://violamineira.blogspot.com/

Para se fazer uma viola de qualidade, o segredo está inicialmente na escolha da madeira empregada. A mistura entre cores, texturas e densidades dão ainda mais valor ao instrumento típicamente brasileiro. E o mais importante, é a influência direta para o timbre (qualidade de som) da Viola. É mais comum o uso das seguintes madeiras:

Para o tampo e estrutura interna (parte frontal da viola), utiliza-se o "Spruce", de origem canadense ou alemã é uma espécie de pinho, bem leve e macio ao corte, pode ser classificado de A(boa qualidade), AA(média qualidade), AAA(ótima qualidade). Quanto mais são homogêneos os riscos do Spruce, mais caro ele é:

Para o fundo, e laterais, cavalete, uliliza-se o Jacarandá (Brazilian Rosewood), raríssima madeira brasileira protegida pelo IBAMA. Considerada a melhor madeira do mundo para fazer também as escalas. É pesada e um pouco dura ao corte, exala um perfume característico, variando de tom bem escuro, e claro com rajados amarelos. Sua serragem (pó) irrita um pouco as narinas.

O Mogno (Mahogany), madeira nobre encontrada no Brasil, é também utilizada para fundo e laterias da viola, de cor marrom característica, é macia ao corte e de peso médio. Sua dificuldade (quando cortada ou
plainada) é que "desfia muito", soltando ferpas.


O Cedro-Rosa(Red Cedar), madeira brasileira bastante parecida com o Mogno, se diferencia por ser mais claro-róseo, e de perfume característico . è bem macio ao corte, não soltando ferpas, portanto, bom para compor as laterais, às vezes também o fundo. É bastante utlizado para fazer o braço da Viola.

A Imbuia, madeira brasileira macia ao corte e de cheiro característico. Utilizada para compor laterais da Viola. Sua cor é de tom variado, entre um verde escuro a rajados amarelados.

O Ébano (Ebony), madeira estritamente Africana, de cor negra, pesada e média densidade para dura. Usada para cavaletes da Viola e principalmente para Escalas. Quase não apresenta veios (poros) e quando envernizada parece um "plástico". Curioso é que do tronco da árvore, aproveta-se somente o miolo. É muito utulizada em escalas de instrumentos clássicos como o violino, celos. Comparando, muito luthiers preferem ainda o Jacarandá por considerarem o Ébano um pouco pobre de sonoridade mais muito bonito esteticamente.